Stray

Discografia

Coraçãozinho de Satã

Coraçãozinho de Satã

O Diabo

O Diabo

Liga de Cavalheiros Improváveis

Liga de Cavalheiros Improváveis

Monstro Robot

Monstro Robot

Outros Discos

Santa Morte, o Cão & o Fantasma

Santa Morte, o Cão & o Fantasma

Clã da Matarroa - Conversas de Café

Clã da Matarroa - Conversas de Café

Vídeos

<
>
YouTube Preview ImageYouTube Preview Image

Stream

Hoje, às 23h, vou estar no Jameson BeatzMarket para participar num debate sobre o papel das netlabels por oposição às labels físicas na indústria musical.

#muchcredibility
April 19th 2014, 20:07
Ninjas, o meu menino J-K vai tocar hoje no Jameson BeatzMarket e eu vou estar lá para tocar algumas músicas com ele/spoilar-vos o Game of Thrones. Apareçam! É as 22h!


Cover photos
Sexta, dia 18 de Abril, Armazém do Chá, Porto.
April 18th 2014, 15:50
Just a tease.


Exposição "Âncora" - teaser
Vimeo is the home for high-quality videos and the people who love them.
April 11th 2014, 14:16

Biografia

Um dia, ainda nem o pequeno Stray andava na escola, deparou-se com uma cafeteira deixada pelos seus pais… ao seu alcance. Lá dentro, a poção mágica. Imaginem os seus olhos a brilhar com tal visão (imaginem também a chungaria-fixe que seria o pano de fundo, lembrem-se que estavamos em plenos anos 80) e será fácil perceber o desfecho. Glup Glup Glup. Nasce um super herói.

Assim, na primária ficou conhecido como “O Único Puto com Uma Chávena na secretária”. A razão? Quando a funcionária vinha fazer a contagem de quantos leite achocolatados iam ser precisos no intervalo, ele ficava sempre na esperança que nesse dia ela perguntasse “Leite ou Café?”. Alguns anos mais tarde tentou organizar uma manifestação contra a discriminição que existia no bufete da escola por só servirem cafés aos professores e não aos alunos. Não sendo bem sucedido, as suas aspirações políticas ficaram por aí, mas o amor pela sua causa, “Livre Acesso do Café”, não morreu. Só precisava de tentar outro meio.

Pensou para os seus botões (na verdade, para o fecho de um casaco tipicamente anos 90), “bem, eu gosto de Rap”. Olhou à sua volta e lembrou-se, “pois, mas não conheço mais ninguém que também goste…”. Ponderou mais um pouco e concluiu “Não faz mal. Vou tentar. Talvez um dia venha a ouvir Hip-Hop na rádio e na televisão, quem sabe… vou tentar passar a mensagem do ‘Livre Acesso ao Café ‘ através do Rap”. Dois dias depois descobriu que afinal o consumo de café era absolutamente normal e que não existia legislação que impusesse uma idade mínima para o seu consumo.

“God damn, homie” exclamou (o que prova o seu exagerado fascínio com o Hip-Hop desde sempre). Mas continuou a fazer música na mesma. O resto, como dizem, é história. Mas, como às vezes a história é muito mal contada, vamos lá explicar umas coisas. Afinal não vamos, dizem-me que para isso existe uma secção chamada “Música”. O que é q se pode dizer mais sobre o Stray?

Alguns chamam-lhe Monstro Clássico, outros Rei Lagarto, Dread Droid Ninja ou Homem-Café. Quando dizem coisas como “não fecha muito bem a mala”, “não regula muito bem das velas” ou “é meio chanfrado”, o que todos estão a expressar é uma certeza inabalável que, dele, nunca se sabe o que se pode esperar (e muito antes disso se ter tornado popular). Para o bem e para o mal, a sua reputação persegue-o. Tal como a sua voz Marciana e as suas letras pejadas de surrealismo, referências, ideias do arco-da-velha organizadas de uma forma muito particular, pequenas pitadas de ironia e fortes golpadas no coração expostas, tudo envolto num geral desdenho pelo que alguém possa pensar do seu estilo.

Cuidado. Ele é amigo do Chewbacca, conhece ex-membros dos ThunderCats e tem formação como Jedi.

Hadouken YO!